Você está aqui: Home

DRGE - Doença do Refluxo Gastro Esofágico Featured

Published in Entertainment
Written by  04 Fevereiro 2012
Rate this item
(0 votes)

Refluxo é uma condição crônica decorrente do retorno de conteúdo do estômago e duodeno para o esôfago, acarretando sinais ou sintomas esofagianos variados que podem estar associados ou não a lesões nos tecidos.

Quais são as causas?

O refluxo ocorre quando o músculo localizado no fim do esôfago, chamado de esfíncter inferior do esôfago, não funciona adequadamente. Este músculo deveria estar fechado na maior parte do tempo, abrindo apenas para a entrada de alimentos no estômago. Mas ele pode apresentar uma certa incapacidade e não se fechar completamente, o que permite o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago.

Outras situações podem contribuir para o refluxo, como a elevada produção de ácido gástrico, obesidade, gravidez, hérnia de hiato, síndrome de Zollinger-Ellison, hipercalcemia e esclerose sistêmica.

Sintomas

  > Pirose (azia): sensação de queimação no peito, atrás do esterno, que pode chegar até a garganta. Este é o sintoma mais comum do refluxo, podendo piorar quando a pessoa come, agacha ou deita. Às vezes ela é confundida com infarto do miocárdio ou angina
  > Sensação de plenitude gástrica: relatada pelos pacientes como inchaço no estômago ou má digestão
  > Dor em queimação na “boca do estômago” (abdome superior), que normalmente acorda a pessoa no meio da noite
  > Eructação (arrotos)
  > Náuseas
  > Excesso de salivação
  > Regurgitação ácida: refluxo de líquidos ou alimentos do estômago à boca
  > Disfagia (dificuldade para engolir): manifestada por engasgos
  > Sensação de asfixia noturna
  > Rouquidão, principalmente pela manhã
  > Dor de garganta
  > Pigarro ou necessidade de limpar a garganta repetidamente
  > Tosse crônica, pneumonias de repetição, asma, sinusite crônica
  > Desgaste do esmalte dentário, halitose (mau-hálito)

A intensidade e a freqüência dos sintomas não são sinais de gravidade da esofagite. Mas existe correlação entre o tempo de duração dos sintomas e o aumento do risco para o desenvolvimento do Esôfago de Barrett e do adenocarcinoma (câncer) do esôfago.

Alguns sintomas são considerados “manifestações de alarme” e devem ser investigados mais rapidamente. São eles: dificuldade para engolir, dor de garganta, anemia, hemorragia digestiva, emagrecimento, história familiar de câncer, náuseas e vômitos, além de sintomas de grande intensidade e/ou de ocorrência noturna.

Como o médico faz o diagnóstico?

O diagnóstico é realizado a partir de uma história clínica detalhada. Os pacientes que apresentam sintomas com freqüência mínima de duas vezes por semana, ao longo de 4 a 8 semanas, devem ser considerados possíveis portadores da DRGE.

Como as manifestações clínicas são variadas, podem ser necessários exames complementares como a endoscopia digestiva alta, exame radiológico contrastado do esôfago, cintilografia, manometria, pHmetria de 24 horas ou teste terapêutico para auxiliar no diagnóstico.

Em nossa clínica, procure o Dr. Henrique Malta para avaliar os seus sintomas e a necessidade de realizar exames complementares para o diagnóstico.

Schwartz & Paiva

Marque sua consulta através do número (82) 3327-4500 ou pelo e-mail marcacao@spclinica.com.br

Website: www.joomshaper.com
More in this category: Constipação Intestinal »
sound by Jbgmusic

Missão

  • Oferecer excelência e humanismo na qualidade das soluções em saúde, que se propõe a prestar, aos clientes que procurarem esta instituição

Visão

  • Ser reconhecida como liderança, ocupando a vanguarda na Assistência Médica.

Valores

  • Ética
  • Humanismo
  • Excelência
  • Qualidade
  • Pioneirismo